Tudo sobre Cachorro!

 

 

 

Fatos, Mentiras e Verdades sobre vacinação canina

 1. Em filhotes pequenos, 95% de sua imunização é obtida através do consumo do colostro, que é o primeiro leite produzido pela mães durante um tempo curto logo após o nascimento.

VERDADE Se a mãe é imunizada contra as principais doenças infecciosas caninas, seus filhotes também irão se proteger por 6 a 16 semanas após o nascimento se eles consumirem o colostro logo após o nascimento.

2. Fêmeas revacinadas antes da cobertura passam mais anticorpos para seus filhotes pelo colostro do que as fêmeas não vacinadas.

VERDADE Quanto mais alta for a concentração de anticorpos contra doenças infecciosas na mãe, maior será a proteção que ela passará para seus filhotes. A revacinação causa um aumento na produção de anticorpos maternos.

3. Enquanto estão presentes, os anticorpos recebidos da mãe não vão interferir com a vacinação permanente dos filhotes.

FALSO : Os anticorpos recebidos da mãe vão interferir na produção de anticorpos produzidos pelos filhotes por algumas semanas após o nascimento.

4. A via de administração (usualmente intramuscular ou subcutânea) não tem efeito no nível de proteção produzido em cães com idade para serem vacinados.

FALSO : O efeito da via de administração na resposta vacinal depende da vacina que é aplicada. Por exemplo, a vacina anti-rábica é mais efetiva se for administrada pela via intramuscular do que a via subcutânea. Com a vacina contra Cinomose, ambas as vias são igualmente efetivas.

5. Cães idosos(mais de sete anos de idade) podem ter uma diminuição na habilidade de produzir anticorpos após vacinação, então devem ser revacinados anualmente.

VERDADE Cães idosos não produzem anticorpos vacinais tão bem como cães mais jovens. A duração da proteção com uma vacinação única será mais curta em animais idosos. A revacinação anual impede que os níveis de anticorpos de proteção diminuam deixando o animal exposto a doenças.

6. A vacinação de animais que já estão doentes, irá prevenir a progressão da doença.

FALSO : A vacinação de animais doentes não irá prevenir a progressão da mesma, pois os anticorpos vacinais demoram vários dias até atingirem níveis de proteção que impeçam a progressão da doença. 7 dias a duas semanas são necessários para que o organismo produza quantidades suficientes de anticorpos para proteger os animais contra as doenças. Os anticorpos devem estar presentes antes da exposição do paciente ao agente causador da doença.

7. Filhotes vacinados devem ser protegidos do frio, pois a friagem reduz a quantidade de anticorpos produzidos após a vacinação.

VERDADE Pesquisas recentes em ninhadas separadas por sexo, idade e peso, demostraram níveis significativamente maiores de anticorpos em filhotes que não ficaram expostos ao frio durante o tempo de formação de anticorpos após a vacinação.

8. Cães não devem ser vacinados contra Cinomose, Hepatite, Leptospirose, Parainfluenza e Parvovirose, pois eles irão adquirir naturalmente imunidade.

FALSO : Todas as doenças citadas acima podem ser fatais. Quando o animal se recupera de uma desta doenças, o seu organismo pode realmente ficar imune a esta doença, mas as lesões nos orgãos e sistemas pode ser tão severas que podem predispor o animal a ter inúmeras outras doenças

 

 

Raças do mundo todo

 

Aqui você vai saber um pouco mais sobre diversas raças, vamos falar sobre elas além de apresentar o padrão oficial para exposições.


 
raça Cocker Spaniel Inglês raça Dálmata raça Labrador Retriever
raça Maltês raça Pequinês raça Rottweiler
raça Shih Tzu raça Yorkshire Terrier
Para entender um pouco mais sobre exposições e alguns termos utilizados na cinofilia, consulte os itens: Glossário e Informações Gerais do menu geral.

Do cio ao parto

 

ACASALAMENTO
Acasalamento

A puberdade nos cães ocorre 2 a 3 meses após terem atingido o tamanho de adulto. Raças menores chegam a puberdade antes das maiores, porque atingem o tamanho adulto mais cedo.
O primeiro cio da cadela ocorre entre os 6 até 14 meses de idade, dependendo da raça. Nas cadelas o cio ocorre a cada 6 meses, podendo ocorrer variações dependendo do estado de saúde, uso de hormônios, clima, presença de outros animais e outros.
O tempo de duração de cada cio também pode variar, mas de uma forma geral fica entre 15 a 20 dias. O período fértil ocorre nos últimos 4 dias, quando ocorre a ovulação, ou seja, por volta do 11o dia, quando cessa o sangramento e a cadela aceita o macho.
A fêmea só deve ser acasalada após o terceiro cio. Nessa fase de idade ela já estará amadurecida o suficiente para ter seus filhotes, seu desenvolvimento físico já terá se completado e a gestação não lhe trará problemas de saúde.
O macho pode cruzar a partir de 1 ano de idade, antes disso ele pode não conseguir fertilizar a fêmea.
A escolha do macho também é importante, ele deve ser mais velho e experiente (principalmente se for o primeiro acasalamento da fêmea) e menor do que a fêmea, para que os filhotes não sejam muito grandes e causem problemas na hora do parto. No caso de animais para competição, analise os pontos fracos na sua cadela e escolha um cão que corrigirá essas falhas nos filhotes, sem tirar as boas características da mãe.
A freqüência de acasalamento e gestação deve ser a mais baixa possível. Uma fêmea que procrie em excesso gera filhotes fracos e com alta mortalidade e também compromete sua própria saúde.
Antes do acasalamento, a fêmea deve ser levada a um veterinário, para que seu estado de saúde seja examinado. As vacinas devem estar em dia e o esquema de vermifugação também.

 



GESTAÇÃO
Desenvolvimento embrionário

A gestação nas cadelas dura em torno de 58 a 63 dias. Esse tempo é influenciado por diversos fatores como por exemplo, número e tamanho dos filhotes. A gestação pode ser confirmada por ultra-sonografia, que também mostrará o número de fetos e sua posição no útero. Também importante para o acompanhamento do desenvolvimento dos fetos.
O diagnóstico através de palpação pode ser feito a partir dos 30 dias. Com 35 dias já se observa o desenvolvimento das glândulas mamarias, que ficam rosadas e túrgidas. Nessa fase já há aumento acentuado de peso.
Com 40 dias o abdome já está aumentado.
Aos 45 dias o RX já evidencia ossos da cabeça, vértebras, costelas e ossos longos dos membros.
Com 49 dias a cabeça dos fetos já é bem palpável e há grande aumento nas glândulas mamarias.
A partir da 8a semana de gestação, o movimento dos filhotes já pode ser visto quando a cadela está deitada. Os filhotes já podem nascer de forma segura.
1 semana antes do parto, principalmente nas fêmeas em primeira gestação, ocorre secreção aquosa nas glândulas mamarias.
Nas 3 ultimas semanas de gestação sua alimentação deve ser reforçada. O uso de ração balanceada de boa qualidade e de formulação para filhotes e fêmeas em gestação, é a melhor forma de garantir os nutrientes necessários, sem a necessidade de suplementos extras.
Durante a gestação, devido a ação da progesterona, o tempo de esvaziamento gástrico da cadela aumenta, mas ao mesmo tempo a motilidade gástrica diminui, conforme o estômago é deslocado pelo útero em crescimento. Portanto o ideal é que se forneça a alimentação em pequenas porções várias vezes ao dia, facilitando a digestão. É normal que no final da gestação a cadela perca o apetite, principalmente quando está próximo da hora do parto.
Duas semanas antes do parto prepare o local onde a cadela irá ter seus filhotes e a estimule a deitar e dormir lá. Isso a deixará mais segura na hora do parto.

 



Leia também:
Gravidez Psicológica
Eclâmpsia
Depoimento - o parto da Imzadi



PARTO
Na última semana de gestação já deve-se estar com tudo preparado, caso os filhotes nasçam antes do tempo: carro preparado com toalhas e jornais caso seja necessário levá-la a uma clínica com urgência; a caixa ou local onde ela terá seus filhotes; jornais para manter o local onde ela terá os filhotes sempre limpo durante o trabalho de parto; lixeira para os jornais sujos e materiais que serão usados durante o parto; uma caixinha menor forrada com toalha macia para colocar os filhotes enquanto a mãe está em trabalho de parto dos outros filhotes; um relógio para controlar o tempo de parto; uma lâmpada de 100w para ser colocada próximo a caixa dos filhotes caso esteja fazendo frio; se estiver fazendo muito calor coloque um ventilador para a mãe; fio dental e tesoura afiada e esterilizada para amarrar e cortar os cordões umbilicais; anti-séptico para desinfetar o cordão umbilical cortado; toalhas e panos macios para serem trocados 2 vezes ou mais ao dia, na caixa onde ficarão mãe e filhotes.
Os primeiros sinais começam com 48h antes do parto, quando começa a produção de colostro pelas glândulas mamarias e a fêmea começa a construir um ninho. 12h antes ocorre descarga vaginal, decréscimo de 1o C na temperatura, sendo que a temperatura normal do cão é em torno de 38,9 a 39,9o C. É a hora de entrar em contato com o seu veterinário e deixá-lo de sobreaviso, caso você precise de ajuda.
Quando chega a hora do parto as fêmeas demonstram desconforto, não acham posição para se deitar e dormir, respiram de forma acelerada como se estivessem com dor, lambem e olham para a vulva, recusam comida, procuram o seu "ninho". As contrações podem ser observadas nos músculos das costas, num movimento descendente.
Se ela quiser sair e caminhar vá junto. Caminhar ajuda no trabalho de parto, mas é preciso sempre estar atento para que nenhum filhote nasça no chão e ninguém veja. Principalmente se estiver escuro.
Após o começo das contrações pode levar até 4h para a saída do primeiro filhote. Se até esse tempo nenhum filhote nascer, procure logo seu veterinário. É importante observar o comportamento da fêmea, presença de contrações, estado geral da mãe, estado dos filhotes ao nascerem. Qualquer sinal de apatia, falta de contrações uterinas ou contrações sem a saída do feto, indica problemas e o veterinário deve ser procurado imediatamente.
Entre as causas de atonia de útero estão: insuficiência de cálcio, déficit energético, fetos muito grandes e obesidade, partos muito prolongados.
O intervalo entre os nascimentos podem ser de 15 min. Até 1h, mais do que isso chame o seu veterinário.
Para a saída do filhote a bolsa de água aparece e normalmente se rompe, então o filhote sai de dentro dela. A placenta pode ou não se soltar nessa hora, nunca puxe o filhote porque você poderá causar nele uma hérnia umbilical. Espere ela se soltar. Se a mãe não cortar o cordão você terá que fazê-lo, usando fio dental e tesoura esterilizada. Depois passe um anti-séptico como por exemplo iodo. Importante também é contar o número de placentas. Elas devem corresponder ao número de filhotes, se isso não ocorrer é porque houve retenção e caso não seja tratada, ela corre o risco de uma séria infecção uterina.
Você pode ajudar a mãe a limpar os filhotes com uma toalhinha macia, os enxugando até que chorem. Esfregá-los ao mesmo tempo que limpa, ajuda a estimular a respiração. Se isso não fizer o filhote respirar e chorar, segure-o firmemente de cabeça para baixo, protegendo sua cabeça e pescoço e o balance, a força centrífuga irá ajudar a retirar o muco da garganta e narinas dele, para que ele possa respirar.

 

1- O filhote é expulso, ainda envolvido na bolsa amniótica


2- A mãe abre a bolsa com os dentes e puxa-a para baixo


3- A cadela corta o cordão umbilical e lambe o filhote


4- Ao lambe-lo, estimula a circulação


5- Os filhotes encontram os mamilos da mãe por instinto
No intervalo entre os nascimentos deixe os filhotes mamarem o colostro, é muito importante para a saúde e imunidade contra infecções, assim como ajuda nas contrações e no trabalho de parto da mãe. Assim que as contrações recomeçarem, coloque-os de novo separados da mãe.
Quando termina o trabalho de parto a cadela se acalma, sua respiração volta ao normal e param as contrações.
Limpe tudo, passe um pano úmido na cadela para limpá-la e faze-la sentir-se melhor. Ofereça água e uma refeição leve como caldo de galinha com arroz. Isso lhe dará uma alimentação leve e com bastante líquido. Ideal no pós parto.
As mães de primeira viagem podem ficar confusas durante e após o parto. Você precisará ter firmeza, paciência e muito carinho com ela, ajudando no parto, no cuidado com os filhotes e na amamentação. É muito importante que todos os filhotes recebam o colostro nas primeiras 24h de vida.
Dentro de 24h no mínimo eles devem ser examinados pelo veterinário, para saber se tudo está bem.
A secreção vaginal após o parto dura de 24 a 48h e a cor deve ir clareando.
A cadela deve ficar com os seus filhotes em local calmo e tranqüilo, com temperatura ambiente constante por volta de 32o C, sem correntes de vento e sua alimentação deve continuar a ser balanceada e fortalecida, sendo indicado ainda as rações próprias para aleitamento, encontradas no mercado. Deve-se oferecer também bastante água fresca para ajudar na produção de leite. A mãe deve ficar sempre junta dos filhotes para lhes fornecer calor. É bom observar se ela toma o cuidado de não sentar ou deitar sobre eles.
Ao nascer os filhotes tem a temperatura baixa, por volta de 35o C, com uma semana de vida ela estará em torno de 38o C. Seus olhos se abrirão com 8 a 10 dias de vida e seus ouvidos com 13 a 17 dias.

 

No inverno, posso usar roupinhas no meu cão ?
O cão tem uma capacidade maior que a dos humanos de regular a temperatura corporal de acordo com o clima e, portanto, dispensa o uso de roupinhas. 

       Além disso , a roupa pode facilitar a formação de nósaumentando o risco de o animal sofrer de dermatrites,inflamações e assduras. Mas se ,mesmo assim ,você acha que é bom manter o fofo produzido ,vale tomar alguns cuidados:"se ele estiver com o pêlo curto e bem cuidado,a roupa pode ser usada".


 

Os sentidos dos cães

 

Os cães são da família dos canídeos, que possui um dos animais mais temidos do mundo, o lobo. Esta família de predadores possui sentidos apurados para a captura de presas.

Olfato

Com 30 vezes mais tecidos sensoriais olfativos do que o ser humano, essa capacidade olfativa permite que sejam adestrados para encontrarem inúmeras coisas, como drogas, fugas de gás, minas terrestres e pessoas soterradas.

Audição

Os cães ouvem sons quatro vezes mais distantes do que o ser humano, além de ouvirem ultra-sons de até 60 Khz, inaudíveis aos seres humanos, que só escutam até 20 Khz.

Visão

A visão noturna dos cães é muito melhor que a dos humanos. O seu ângulo de visão também é mais amplo, devido aos olhos estarem ao lado da cabeça. Os cães, assim como todos os mamíferos não-primatas, são ditos dicromatas e não conseguem enxergar a cor verde.


 

Alguns aspectos importantes da nutrição animal

 

"Amigo leitor, cabe aqui fazer uma advertência. O intuito de todos os textos por mim escritos é tratar da fisiologia e necessidade nutricional dos animais, de modo a trazer a você conhecimento para que possa proporcionar ao mascote a melhor qualidade possível de vida. Não cabe a mim, assim como ao Portal Saúde Animal, promover ou defender o uso deste ou daquele tipo de alimento. Recomendamos enfaticamente que procure a opinião de profissionais reconhecidamente idôneos e gabaritados e busque promover a melhor qualidade de vida possível ao seu animal de estimação."
 

Seria inviável escrever um texto completo sobre nutrição. Por isso, esse texto foi elaborado de forma a dar "dicas" sobre os assuntos que devem ser estudados e aprofundados pelo leitor, que perceberá, em determinadas partes, certa superficialidade, intencional de nossa parte. A Nutrição Animal é um assunto extenso e apaixonante, que merece consideração de todos os proprietários. Conte com o Portal Saúde Animal para esclarecer suas dúvidas.


 

Pastor Alemão

Origens:
Suas origens remota ao Paleolítico, época em que os homens, durante as caçadas, eram acompanhados por matilhas selvagens que se alimentavam dos restos de alimentos na região da Turígia. Depois, no neolítico, com a criação de ovelhas, os alemães necessitavam de um cão forte e de movimentação rápida acompanhada de um mínimo gasto de energia, além de uma inteligência excepcional, para proteger o rebanho de animais selvagens ou invasores, e impedir que o próprio rebanho destruísse as plantações. Para essa função foi criada toda a família de cães pastores.
Durante 3 mil anos, os alemães foram aprimorando seus cães de pastoreio ninhada por ninhada, até a seleção definitiva, em 1882, por Max von Stephanitz. O Pastor alemão é uma raça de cães de guarda. É muito rápido, ágil, forte e preparado, sendo considerado um dos cães mais inteligentes. Foi considerado 3 vezes o melhor cão para se adestrar. Um dos maiores cães de guardas na Segunda Guerra Mundial recebeu a alcunha de ‘el diablo’ (o diabo, em português). Devido a sua popularidade é comum encontrar ninhadas sem pedigree, o que é um alto risco para o comprador, que pode adquirir um cão com desvios de temperamento – desde o mais dócil ao mais agressivo. A compra de um cão equilibrado e com a máxima garantia de sucesso só é segura se com pedigree.

 

 

Cães

Cães são pedaços de nós
Eles fazem parte do nosso coração
Eles que nos fazem rir e chorar
Eles são companheiros
São amigos
Eles brincam conosco
E protegem-nos quando necessitamos
Quando dizem que o cachorro é o melhor amigo do homem
Estão dizendo nada mais do que a verdade
Os cães nos fazem viver
E ver como é bom caminhar, se exercitar, brincar, correr.
Eles nos fazem ver como é bom viver
Quando você vê em uma propaganda da ração Pedigree
Dizendo:” por que cachorro é tudo de bom”
Você está vendo e lendo a verdade
Às vezes olhamos uma propaganda e vemos um cachorrinho
O que dizemos?
“Que coisa fofa, eu quero um igual”
Por que sabemos que por mais que estas coisinhas fofinhas façam bagunça,
elas nos trazem alegria.
Por isso sou obrigada a repetir “ Cachorro é tudo de bom”.

 

Labrador

 

Temperamento

Devemos lembrar que o comportamento é composto de duas partes: a genética e a educação (manejo, ambiente). Assim, vamos falar sobre como é o temperamento de um bom Labrador, escolhido de pais que correspondam ao que se espera da raça e que recebam educação adequada, sem violência, mas também sem mimos excessivos.

Os Labradores são cães com bastante energia enquanto filhotes. Isso significa que eles são como crianças, e se deixados sozinhos com objetos perigosos por perto, irão fazer “arte”. Quando adultos, diminuem a atividade física espontânea, mas não perdem o espírito brincalhão e amigo.

São cães fáceis de educar para as mais diversas atividades: companhia, busca de caça (especialmente aves e em terrenos alagados), guia de deficientes visuais, cão de terapia, cão assistente (deficientes); basta que o dono tenha um pouco de paciência e busque técnicas adequadas.

Definitivamente não são cães de guarda. Podem até latir ao avistar uma situação ou pessoa estranha, mas não atacam.

Adoram brincar e gostam muito de água. adoram crianças e protegem-nas lealmente até ao fim.

Labradores necessitam de companhia para se desenvolverem de forma saudável. Por fim, Labradores são cães de família. Muitos não tem um dono predileto.

Aparência

<!--[if gte vml 1]&gt; &lt;![endif]--><!--[if !vml]-->

<!--[endif]-->

Labradores são cães de médio para grande porte. Pelo padrão, as fêmeas devem medir entre 54 e 56 cm na cernelha e os machos entre 56 e 57. A cernelha é o ponto mais alto do ombro, antes do pescoço. O tamanho é medido desse ponto até o chão. Labradores em boa forma (não gordos) pesam, em média, entre 37 e 42 quilos, dependendo do sexo e genética.A pelagem é dupla: tem pêlo (mais duro e comprido) e subpêlo (que você vê abrindo a pelagem. Parece uma lãzinha curta, macia e de cor mais opaca). São encontrados em três cores: amarelos (variando do creme claro ao avermelhado da raposa), chocolates ou pretos. A cor tem que ser sólida, e uma pequena mancha branca é aceita somente no peito, preferindo-se os inteiros de uma cor. O nariz, contorno dos olhos e lábios dos chocolates são marrons. Nos amarelos e pretos são pretos. Um nariz um pouco mais claro (não rosa, nem marrom… um preto desbotado) é aceito nos amarelos mais velhos ou durante frio intenso (nariz de inverno). Os olhos nas três cores devem ser castanhos, podendo ser um pouco mais claros (mas ainda castanhos) nos exemplares chocolates.

Labradores amarelos com nariz, contorno dos olhos e lábios, rosas ou marrons, são considerados despigmentados. Essa falha de pigmentação leva o cão a ser mais suscetível à problemas de pele, inclusive queimaduras dos raios solares (e isso pode levar ao câncer de pele). Portanto, os Labradores despigmentados, devem ser muito amados como cães de companhia, mas não devem se reproduzir, e o dono deve tomar cuidados adicionais, como somente expô-lo ao sol em horários específicos (de manhã ou bem à tarde) e passar protetor solar no nariz.

 

Os labradores são dos animais mais adoráveis que se pode ter para companhia

As orelhas são pendentes, triangulares e médias.

O focinho deve ser médio e forte (largo). Os dentes se fecham em tesoura (visto de frente, os dentes de cima ficam logo à frente dos debaixo, sem espaços).

As costelas e o rabo são bem característicos. As costelas são bem largas e arredondadas. Como é um cão que foi feito para caçar em águas geladas, precisa de um bom pulmão. Por isso as costelas tem esse formato, que lembra o de um barril. Às vezes isso dá a impressão de se tratar de um cão gordo. Se você colocar a mão sobre as costelas e conseguir sentí-las com certa facilidade, verá que o exemplar não está fora do peso e sim que tem as costelas corretamente arqueadas.

O rabo é um outro ponto importantíssimo. Ele serve de leme nas mudanças de direção enquanto está nadando. O rabo deve ser largo, relativamente curto (se puxado para baixo deve atingir, no máximo, o jarrete (“calcanhar”) e reto. Rabos finos e curvados para cima não serviriam para a atividade original, e por isso, são penalizados nas pistas de exposição.

História

Na planície de Terra Nova (Canadá) existiam alguns cães que trabalhavam com os pescadores tanto puxando redes de pesca, quanto buscando peixes que escapavam entre as redes.Eram basicamente de dois tipos: um maior e mais peludo, outro menor e de pelagem mais curta, este também conhecido como Cão de Saint John.

Esse cães foram levados para o Reino Unido, e alguns caçadores de aves (especialmente patos) descobriram que poderiam utilizar algumas das características desses cães para criar uma raça específica para a função. Mantiveram, através de acasalamentos selecionados, características como a vontade de buscar objetos, o gosto pela água, a pelagem grossa e resistente, a boca “macia” (que carrega objetos sem danificá-los), a docilidade e a obediência. Os cães menores e com pelagem mais curta eram mais aptos ao trabalho, já que cabiam melhor nos barcos pequenos, eram mais fáceis de serem içados de volta à embarcação e a água não congelava entre os pêlos, como ocorria com cães de pelagem mais longa.

Foram usados cães locais e cães de outras raças, além do Saint John. Eram selecionados os filhotes mais aptos ao trabalho.

Com isso chegou-se ao Labrador. No início, apenas os pretos eram reconhecidos. Como nasciam cães de outras cores nas ninhadas, alguns criadores se uniram e fundaram o Clube do Labrador Amarelo, que foi a segunda cor a ser reconhecida pelo TKC (The Kennel Club). Por último, reconheceram o chocolate, que também era comum, mesmo em ninhadas de pretos.

Assim, o local que originou a raça através da seleção é a Grã Bretanha. Apenas um conselho de criadores dessa localidade, sob aprovação do kennel club local, pode modificar as características descritas no padrão oficial. Os labradores são excelentes companheiros e adoram estar perto dos humanos.

Saúde

Quanto à saúde, Labradores não costumam ter maiores problemas.

Deve-se ter muito cuidado ao adquirir um filhote, ou ao pensar em acasalar o cão que está em sua casa. A displasia coxofemoral e a displasia de ombros são duas doenças geneticamente transmissíveis, sem cura e que podem não apresentar sintomas (ou seja, seu cão pode ter e você nem desconfiar).

Ao comprar um filhote, deve-se ver as chapas de displasia (raios X) dos pais, mesmo que ambos pareçam saudáveis. Essas chapas são feitas depois dos dois anos de idade (quando o cão já está completamente formado) e por profissional veterinário credenciado pelo Colégio Brasileiro de Radiologia Veterinária (CBRV).

Alguns dos melhores criadores do país, também testam se os cães (futuros pais e mães dos filhotes) tem algum problema cardíaco ou de olhos que possa ser transmissível aos bebês.

Como são cães pesados e grandes, deve-se evitar a obesidade (que sobrecarrega patas, pernas e coluna), piso liso e escadas (especialmente com filhotes).

Em países de clima quente, além das duas trocas anuais de pêlos, os Labradores acabam fazendo uma “muda contínua” durante todo o ano. Alimentação adequada e de boa qualidade, escovações frequentes e poucos banhos com shampoo ou sabonete, melhoram um pouco a situação. Banhos de piscina ou de mangueira são liberados, mas o dono deve secar as orelhas e ouvidos para evitar otites.

Um outro cão muito parecido com o Labrador é o Golden Retriever, que aparenta os mesmos tamanhos e pesos de um Labrador.

Genética de Cores

Exatamente para evitar filhotes despigmentados, os criadores devem estudar, além da saúde, temperamento e aparência dos pais (itens verificados antes de todos os acasalamentos nos canis sérios), a genética de cores dos pais.Os Labradores pretos são dominantes. A genética é estabelecida por (A_C_).

Os chocolates são A_cc e os amarelos são aa_ _. Os amarelos despigmentados são cães totalmente recessivos (aacc) e tem grandes chances de apresentarem problemas de pele (inclusive câncer, como explicado no item “Aparência”).

Para evitar, os acasalamentos recomendados são:

- Entre pretos puros: AACC – só nascerão filhotes pretos.

- Entre pretos (família amarela) e amarelos. a genética dos pretos pode ser AACC (preto puro) ou AaCC (preto com genética para amarelo). Os amarelos devem ser aaCC. Nascerão filhotes pretos e/ou amarelos.

- Entre amarelos de genética aaCC. Só nascerão amarelos.

- Entre pretos (família chocolate) e chocolates. A genética dos pretos pode ser AACC (puro) ou AACc (preto com genética para chocolate). Os chocolates devem ser AAcc. Nascerão pretos e/ou chocolates.

- Entre chocolates com genética AAcc. Nascerão somente chocolates.

Deve-se evitar todo o acasalamento que possa gerar um filhote que tenha genes chocolates e amarelos ao mesmo tempo.

tirado do site: http://pt.wikipedia.org/wiki/Retriever_do_Labrador

lab_profile.jpg

Cocker Spaniel Americano

Cocker spaniel americano

Origem
A história do COCKER SPANIEL AMERICANO confundiu-se com a do Cocker Spaniel Inglês até o final do Século XX, mas a partir daí teve evolução própria. A raça surgiu, oficialmente, em 1946, mas desde 1880 criadores americanos e canadenses buscavam exemplares diferentes dos cockers tradicionais.
Nos EUA é chamado simplesmente de Cocker Spaniel e é a 4ª raça mais registrada.Os Spaniels são cães de caça com ancestrais de provável origem egípcia, desenvolvidos na Península Ibérica. Entraram na América acompanhando imigrantes desde 1620 e por importações no Século XX.
Tornaram-se apreciados pela habilidade de “levantar” aves para o caçador, por sua disposição e capacidade de adentrar terrenos com vegetação de difícil acesso, velocidade em campo aberto e agilidade ao nadar.

Temperamento
O Cocker Americano é um cão extremamente alegre, carinhoso, equilibrado, sem nenhuma timidez. Ativo, dócil, amigável, afetuoso, extrovertido e sociável, um tanto quanto preguiçoso, muito comilão e principalmente companheiro. É o melhor amigo que qualquer um poderia desejar, não largando o seu dono por nada deste mundo. Trata-se de uma raça bem resistente, raramente ficando doente. Os cuidados maiores são com a pelagem, que necessita uma tosa mensal e banhos semanais. Embora muito peludos, não soltam muito pêlo. Vive muito bem em apartamentos.

Diferenças
É confundido com uma certa freqüência com o Cocker Inglês, apesar de ter diferenças bem marcantes.A criação americana voltou-se para a caça em pântanos, conferindo-lhe um porte menor, mais prático para o transporte em barcos. Para nadar com mais eficiência as patas aumentaram para se obter maior empuxo e o focinho foi encurtado e tornou-se levemente “arrebitado” visando diminuir o esforço ao carregar a presa abocanhada. A pelagem apresentou-se mais longa e densa. (principalmente nas patas e barriga) Resultou assim bastante diferente do Inglês, desenvolvido em paralelo na Inglaterra para a caça a pé, em terreno mais firme.Tantas foram as mudanças que, em 1936, o American Kennel Club considerou-os variedades diferentes e reconheceu-os como raças diversas em 1946. Sua farta pelagem e conformação apropriada ao show o tornaram um cão de grande sucesso nas exposições de beleza. Também diferem no temperamento, sendo mais sossegado que os seus “primos”

Características
- Cabeça
Crânio arredondado; focinho curto; stop pronunciado; lábios pendentes cobrindo a mandíbula ; mordedura em tesoura; nariz preto nos cães pretos ou com cor preta, nos demais pode ser também marrom.
- Olhos
Inserção frontal e na superfície da pele, redondos, levemente amendoados, castanho escuros, o podendo ser amarelo ou esverdeado nos cães com cor chocolate.
- Orelhas
Lobulares, longas, de couro fino,bem franjadas e inseridas na altura dos olhos.
- Corpo
Tronco curto, compacto, de construção sólida dando impressão de força; pescoço longo, musculoso e sem barbelas;dorso forte ; linha dorsal levemente descendente; garupa larga e musculosa.
- Cauda
Cortada, é portada na horizontal ou levemente para cima.
- Pêlo
Dupla, sedosa e lisa ou levemente ondulada.Na cabeça,o pêlo é curto e fino; no tronco é de comprimento médio com bastante subpêlo; nas orelhas, peito, abdômen e pernas é longo e bem franjado.
- Pelagem
Sólidas- preto,dourado,preto e dourado(black and tan)chocolate, chocolate e tan (castanho) – Particolor- qualquer uma das sólidas com branco, sendo que nenhuma das cores pode exceder 90%. – Ascob (Any Solid Color Other than Black) – nome dado às cores sólidas exceto o preto.
As marcas tan devem estar nos seguintes locais: um ponto bem visível acima de cada olho, dos lados do focinho e nas faces, nas 4 patas e pernas, na parte interna das orelhas, sob a cauda e opcionalmente no peito.
- Tamanho
Macho: até 38cm.
Fêmea: até 35cm.
- Peso
De 11 a 13 kg.

 

Tudo sobre shitzu

 



 


 


 


Temperamento


 



Os cães da raça Shih Tzu são extremamente dóceis e adoram ficar por perto daqueles que fazem carinho neles. São indicados para áreas de convivência em apartamentos ou áreas similares. São bastante educados com relação à suas necessidades fisiológicas, considerando-se que devem ser treinados quanto ao local adequado para isso. Alguns comportamentos observados: Nunca dormem no mesmo local onde fazem suas necessidades, adoram beber água, adoram pisos frios (devido a sua pelagem e origem) e adoram ficar deitados perto do dono ou de alguém que gostam muito. Diferente de outras raças, o Shih Tzu pode ficar sozinho numa boa, pois não late em excesso nem destrói a casa.
O Shih Tzu pode não ser uma das raças mais fáceis para se ensinar truques, porém com paciência e dedicação ele os aprende. Já no cotidiano é um cãozinho muito esperto e que presta atenção em tudo ao seu redor, aprendendo rápido as coisas. É preciso cuidado pra não se deixar enganar pela carinha deles, é com ela que os Shih Tzus conseguem dominar seus donos, fazendo com que estes atendam a todas as suas vontades, saber dizer não e ser firme é necessário.
Menos ativos e agitados que outros cãezinhos do mesmo porte, os Shih Tzus são ideais para aqueles que gostam de ficar acariciando seu animal, haja visto que estes adoram um colo e não ficam se debatendo.

História



Acredita-se que a raça é o resultado da cruza de um Pequinês com um Lhasa Apso(podendo haver também outras raças em sua criação, como o Pug) em tempos antigos. De fato, análises de DNA recentes comprovam que é uma das mais antigas raças.
Existe uma lenda que diz que o Shih-Tzu é o símbolo do amor impossível entre uma princesa chinesa e um
mongol (povo predominante no Tibete). Como o casamento lhes foi negado eles teriam resolvido cruzar um legítimo representante da China (o Pequinês) com um de Lhasa (capital do Tibet), o cão da raça Lhasa-Apso. Da união das raças teria surgido o Shih-Tzu.
São problemas comuns à raça Shih-Tzu: hepáticos, renais, displasia coxofemoral, coprofagia, alergias e oftalmológicos.
A pelagem longa requer escovação diária para livrá-la de nós e tosa adequada. shih tzu é a melhor raça do jmundo by :anonima hooho


 


Aparencia


 


Seu porte altivo é a sua característica principal. A pelagem é comprida e sedosa com um bom sub-pêlo. É chamado de cão crisântemo por causa do aspecto de sua cara. Sua cabeça é redonda e os olhos bem separados. O focinho é quadrado e curto não possuindo rugas. A altura do Shih-Tzu varia entre 20 e 28 cm e seu peso fica normalmente entre 4 e 7,5 kg. O rabo é muito peludo, elevado e encurvado sobre o dorso.
Os Shih-Tzus existem em qualquer cor ou mescla de cores, mas é altamente desejado que os exemplares tenham uma marca branca na cabeça.

 

 

 

PADRÃO OFICIAL
CBKC nº 208 de 3/5/94 FCI nº de 24/6/87 País de origem: Tibet Nome no país de origem: Shih Tzu

APARÊNCIA GERAL:
robusto, pelagem abundante, porte distintamente arrogante, com cabeça lembrando o crisântemo.

CARACTERÍSTICAS:
de temperamento amistoso e independente, inteligente, ativo e alerta.

CABEÇA E CRÂNIO:
cabeça larga, redonda, profusamente peluda, com pêlos caindo sobre os olhos, estes bem separados, boa barba e bigodes. Os pêlos crescendo para cima, no focinho, conferem-lhe uma clara semelhança com o crisântemo. Focinho bem largo, curto, com cerca de 2,5cm da ponta ao stop, reto, de nível ou levemente arrebitado, quadrado e peludo, sem rugas. Cana nasal em linha com a pálpebra inferior ou levemente abaixo. Trufa preta, podendo ser cor de fígado, com pigmentação o mais homogênea possível. Narinas bem abertas, stop bem definido. Trufa inclinada para baixo ou pontuda são características altamente indesejáveis. Olhos: grandes, redondos, escuros, inseridos bem separados, sem ser proeminentes. Expressão calorosa. Nos cães de cor fígado, ou com marcações dessa cor, olhos mais claros são permitidos, desde que a íris cubra o branco dos olhos. Orelhas: grandes, com lóbulos longos, portadas caídas, inseridas ligeiramente abaixo da abóbada craniana. Devem ser tão profusamente cobertas de pêlos que se confundem com a pelagem do pescoço. Boca: larga, ligeiramente prognata ou em torquês. Lábios retos.

PESCOÇO:
bem proporcionado, graciosamente arqueado, suficientemente longo, para portar a cabeça alta.

ANTERIORES:
ombros bem oblíquos, membros anteriores curtos, com boa musculatura e ossatura, tão retos quanto possível, compatíveis com o peito largo e profundo.

TRONCO:
a distância entre a cernelha e a raiz da cauda é maior que a altura, na cernelha. Bem compacto e forte. Peito largo e profundo. Ombros firmes. Dorso reto.

INFERIORES:
membros curtos e musculosos, com boa ossatura. Vistos, por trás, retos. Coxas bem arredondadas e musculosas. Devem parecer volumosas, em virtude da pelagem abundante.

PATAS:
arredondadas, firmes, com boas almofadas plantares, parecendo grandes pela pelagem abundante.

CAUDA:
de plumagem abundante, inserção e porte altos, alcançando, aproximadamente, o nível do alto do crânio, o que lhe confere uma aparência equilibrada.

MOVIMENTAÇÃO:
altiva, fluente, com longo alcance à frente e forte propulsão dos posteriores, exibindo as almofadas plantares.

PELAGEM:
longa, densa não cacheada, com bom subpêlo. Uma leve ondulação é permitida. Recomenda-se que os pêlos da cabeça sejam atados.

COR:
todas as cores são permitidas; uma faixa branca na fronte e na ponta da cauda são altamente desejadas nos particolores.

PESO E ALTURA:
de 4,500 a 8,100 quilos. O peso ideal de 4,500 a 7,300 quilos. Altura máxima na cernelha, 26,7cm. Tipo e características da raça são da maior importância e não devem ser preteridas pelo tamanho.

FALTAS:
qualquer desvio, dos termos deste padrão, deve ser considerado como falta e penalizado na exata proporção de sua gravidade.

NOTA:
os machos devem apresentar os dois testículos, bem visíveis e normais, totalmente descidos na bolsa escrotal.



**************************************…
Um bom companheiro para momentos de diversão e brincadeira. É de personalidade amigável, sem sinais de agressividade. Mesmo se destacando por ser uma ótima companhia, o tzu,como também é conhecido, é independente e pode ficar sozinho por horas, sem dar um latido sequer.
Por suas características de comportamento, esse cão é ideal para famílias com crianças ou para pessoas que trabalham e, por isso, permanecem um longo tempo fora de casa.
É uma raça maravilhosa quer para criação, quer para companhia, devido ao seu temperamento adorável e amável. Para criação é uma raça fácil graças a sua pouca propensão a doenças.
Além de ter uma típica personalidade de cão de colo, o tzu é muito orgulhoso e não gosta de levar broncas, motivo que o leva a deixar de fazer coisa errada. Também tolera bem as brincadeiras de crianças, mas não gosta de ambientes muito barulhentos.


 

O YORKSHIRE TERRIER


 

 

Padreador: Tuty of Dakos ( 1,8 kg)

 

 Originário da Grã-Bretanha, o Yorkshire Terrier, ou yorkie (como o Yorkshire é carinhosamente chamado), vem de uma mistura de diferentes terriers, tradicionais na arte da caça em tocas. Dentre as várias versões existentes sobre sua origem, a mais aceita fala do cruzamento entre o Black and Tan, o Skie Terrier e o Dandie Dinmont. Consta, ainda, uma intervenção do Maltês.

A princípio, o yorkie foi chamado de Terrier Escocês e, logo em seguida, de Terrier Escocês Anão de Pêlo Longo. Somente depois de vários anos, por volta de 1870, é que foi adotado o seu nome atual, em homenagem à região de sua origem.

Foi desenvolvido por operários de West Riding, no condado de York (Inglaterra), que buscavam um cão de companhia que fosse pequeno e pudesse ser utilizado na caça subterrânea, qualidade essa que, apesar de muito acentuada no princípio, desapareceu quase que por completo. Foi também companheiro fiel dos trabalhadores das minas de carvão, comuns em sua região. Somente em fins da era Vitoriana é que ganhou status, ao se tornar companheiro inseparável das damas da aristocracia e alta burguesia. Conforme os norte-americanos seguiam os costumes Vitorianos, eles também passaram a adotar o Yorkshire Terrier, sendo que o primeiro registro de um yorkie nascido nos Estados Unidos data de 1872.

Sua primeira aparição em exposições se deu em 1861, em Birmingham, ainda sob o nome de Terrier Escocês Anão de Pêlo Longo. Foi reconhecido como raça em 1885 pelo American Kennel Club e, em 1898, pelo recém criado The Kennel Club da Inglaterra. Seu primeiro padrão, de 1898, admitia dois grupos de tamanho: um de até 2,3 kg ( preferidos para companhia ) e outro entre 2,3 e 6 kg ( indicados para enfrentar os grandes ratos ). Seu padrão atual estabelece o peso máximo de 3,15 kg.

Cuidados ao Adquirir Seu Yorkie

O yorkie manteve sua popularidade em alta, especialmente por seu tamanho diminuto, sendo escolhido, principalmente, por pessoas que moram em apartamentos e casa pequenas, ou sem quintal. Embora os Terriers sejam rústicos e fortes por natureza, há que se ter especial cuidado com exemplares muito pequenos, com menos de 1,3 kg. Estes exemplares costumam ter problemas de ordem genética, que impedem um desenvolvimento correto e saudável, quanto menor o cão, mais delicado, sujeito a acidentes e a alguns males que ocorrem na raça e menos resistentes a doenças ele se torna.

Além disso, a procura por exemplares pequenos criou termos oficialmente inexistentes, como "micro" ou "zero". Não há tais classificações na raça!

Não se deve comprar o primeiro filhote em que se põe os olhos é importante que se visite alguns criadores primeiro e que se faça uma consulta ao Kenel local, a fim de melhor informar-se quanto à idoneidade do criador escolhido. Um bom criador dará garantias reais quanto à saúde de seu cão e estará disposto a efetuar o ressarcimento, caso venha a ocorrer algum problema com o filhote que seja de origem genética ou oriundo de seu canil. Alguns bons criadores, chegam mesmo a se recusar a vender um cão, caso achem que o temperamento ou estilo de vida do comprador não combine com o yorkie.

Temperamento

Um dos motivos que o tornam tão encantador tem suas raízes na própria função original da raça, ele é um Terrier, grupo de raças que se caracterizam por serem ativas, destinadas a localizar e caçar animais em tocas, sem a ajuda humana. Daí seu caráter independente, esperto, vivaz, auto-confiante e sua atitude sempre alerta. Aliás, como todo bom caçador, dará o alarme ao menor ruído estranho à rotina da casa. Por essa característica marcante, muitos o usam como cão de alarme, função na qual é extremamente eficiente.

Possui ainda um temperamento carinhoso e afável, fato que o torna uma companhia excelente. A despeito de seu tamanho, o Yorkshire é um cão muito ativo e independente, podendo conviver amigavelmente com crianças, embora deva-se ter cuidado para que estas não o machuquem com brincadeiras rústicas, às quais ele reagirá prontamente, mostrando seus limites. O yorkie não aprecia muito o convívio com outros cães, com quem certamente disputará território, não importando quão maior seja o outro cão.

Filhote

As pessoas que vêem pela primeira vez uma ninhada de yorkie, logo após o parto, ficam espantadas ao descobrir que os cãozinhos são quase inteiramente pretos, com um leve toque de fulvo acima dos olhos e nas pontas dos pés. À medida que o filhote cresce, a pelagem negra das patas desaparece gradualmente, de modo que estas se tornam fulvo até a altura do cotovelo nas pernas dianteiras nem acima dos joelhos nas traseiras. Na cabeça, pode-se observar igualmente , o fulvo surgindo de uma orelha à outra. Até que ela esteja completamente coberta de pêlos fulvo. A pelagem que recobre o corpo, começa a tomar a tonalidade correta de azul-aço escuro, a princípio somente no pescoço e, depois, através do dorso até a cauda, a qual costuma permanecer um pouco mais escura que o resto do corpo. As extremidades dos pêlos permanecem negras por algum tempo, mas acabam por desaparecer. Isto tudo se dá até o 240 mês de vida, quando o yorkie já terá a marcação de suas cores definida. É fascinante observar esta mudança de cor no yorkie, são poucas as raças em que ela varia tanto, desde o nascimento até à idade adulta. Devido à essa verdadeira metamorfose, consta que alguns criadores inexperientes sacrificaram ninhadas inteiras de yorkie, por pensarem tratar-se de mestiços.

Durante o processo de troca de dentes, a postura das orelhas pode sofrer alterações, mesmo naqueles cães que as têm levantadas desde o nascimento. Nessa época, elas podem ficar caídas, porém, quando o processo se completa, elas recobram a postura correta.

Um cuidado que se deve ter com o filhote é não permitir que ele pule de locais altos. Como seus ossos ainda estão fracos e flexíveis, qualquer choque nos ombros tende a projetar seus cotovelos para fora. Jamais espere do yorkie que ele tenha bom senso no que diz respeito ao seu tamanho, ele pulará de um local alto com o mesmo atrevimento que enfrentará um Rottweiler.

As Cores

A distribuição e a tonalidade das cores do yorkie são sofisticações muito valorizadas desde seu primeiro padrão. É definido que o yorkie deve Ter duas cores: o azul-aço escuro e o fulvo. Pode-se definir o azul-aço como sendo um cinza brilhante, quase preto, tendendo ao azulado, e o fulvo como um amarelo tostado. O azul-aço não deve ser escuro demais a ponto de ficar preto, nem muito claro a ponto de ficar prateado. Aliás, embora o prateado seja proibido pelo padrão é frequentemente obtido por criadores. Já os pêlos fulvos, são levemente mais claros nas pontas do que nas raízes e produzem colorido dourado intenso. É muito importante que uma cor não invada a outra.

Grooming

A pelagem do yorkie deve ser abundante e necessita de cuidados especiais para manter-se limpa e desembaraçada. Eis aqui algumas dicas para manter o pêlo do seu yorkie bonito e abundante:

Nunca use escova de nylon, elas quebram os pêlos. Deve-se usar escovas com cerdas metálicas, de preferência sem aquelas "bolinhas" em suas pontas;

Use um pente metálico com dentes menores em uma das extremidades e maiores na outra, o lado menor deve ser utilizado nos pêlos dos bigodes e em torno dos olhos;

Use uma tesoura sem pontas no trimming ( tosa específica da raça ) dos pêlos das orelhas e das patas; Escove os pêlos diariamente para mantê-los livres de nós;

Banhe-o somente quando estiver sujo, geralmente uma vez por semana. A escovação o manterá limpo, exceto na parte que se molha com a urina do macho. Limpe essa área diariamente com um pedaço de tecido umedecido em água morna;

No banho, umedeça os nós com água morna e use os dedos para desembaraçá-los;